Dotô, as arboviroses vão conquistar o Brasil?

Em primeiro lugar, preciso explicar para você, meu paciente, o que são arboviroses. As arboviroses são infecções virais transmitidas por artrópodes. E o que são artrópodes? Artrópodes são insetos. Então, meu paciente, as arboviroses mais importantes são transmitidas por quem? Por mosquitos, principalmente a dengue, que é transmitida através da picada de fêmeas do mosquito Aedes aegypti e Aedes albopictus. Mas parece que o reinado do vírus Dengue como o principal arbovírus do Brasil está em risco. Semana passada, o Ministério da Saúde confirmou os dois primeiros casos de infecção pelo vírus Chikungunya no município do Oiapoque, no estado do Amapá. Um pai e uma filha se infectaram pelo vírus. A notícia, apesar de esperada, traz grandes preocupações para as autoridades de saúde brasileiras. A preocupação vem do fato que o Brasil apresenta um ambiente favorável para adaptação e dispersão do vírus em nosso território, uma vez que os mosquitos são os mesmos da dengue e febre amarela, fêmeas de Aedes albopictus e Aedes aegypti. Estes vetores estão presentes no Brasil em altas densidades e, apesar das grandes epidemias de dengue, nós brasileiros estamos susceptíveis a infecção pelo vírus Chikungunya.

aedes

Figura: Como diferenciar o Aedes aegypti e Aedes albopictus (fonte: http://www.cdc.gov/chikungunya/)

Mas Dotô, a febre provocada pelo vírus Chikungunya é parecida com a provocada pelo vírus Dengue?

            A febre Chikungunya é uma doença descrita inicialmente na Tanzania em 1952 e desde então, surtos tem sido descritos no continente Africano, na Ásia e Europa. Em dezembro de 2013 os primeiros casos foram identificados no continente Americano em ilhas do Caribe, em pouco tempo o vírus já foi identificado em mais de 32 países do continente Americano, com mais de 15 mil casos suspeitos. Com esse número aumentando à cada dia, principalmente em locais com climas tropicais, climas importantes para a proliferação de Aedes albopictus e Aedes aegypt.

            Em pouco tempo, as infecções causadas pelo vírus alastrando-se alastraram até chegar à América do Sul, mas com a presença de infecções causadas pelo vírus da febre amarela e da dengue, demorou um tempo até chegar ao Brasil. O que mudou na semana passada, quando o vírus finalmente chegou aqui.

            Existe uma preocupação com a chegada desse vírus ao Brasil, pois seu ciclo de transmissão é mais rápido que o da dengue, durando no máximo sete dias, porém a infecção por Chikungunya mata com menos frequência. Além disso, como é um vírus novo, infectando uma população que não tinha entrado em contato com ele (população Brasileira), ocorre uma ineficiência dessa população ao se defender contra esse vírus, o que aumenta o aparecimento de manifestações clínicas da doença e da morte dos individuos infectados. A infecção pelo Chikungunya afeta individuos de todas as idades e ambos os sexos, mas suas manifestações clínicas podem variar de acordo com a idade, sendo os mais jovens e mais idosos os mais afetados pela doença. Para aumentar ainda mais a preocupação, os vírus da febre chikungunya e da dengue tem sintomas bastante semelhantes, o que torna difícil a sua diferenciação em uma avaliação médica. Então o médico pode acreditar que o caso é de dengue quando, na verdade, trata-se de um caso de infecção pelo vírus Chikungunya. Esse diagnóstico clínico errôneo leva ao aumento da taxa de transmissão do vírus.

            Como no vírus da dengue, a febre causada pelo chikungunya se caracteriza como febre alta de inicio abrupto, acompanhada por dor de cabeça, conjuntivite, dor nas articulações e nos músculos, além de erupções na pele (exantema). O sintoma mais importante da doença é a dor nas articulações, que é extremamente forte no individuo infectado. Em casos graves essa dor forte pode impedir os movimentos do individuo infectado, levando até à incapacidade do individuo de andar e até de escrever. Na verdade, o nome chikungunya significa “aqueles que se dobram”, em referência à postura que os pacientes adotam diante das dores articulares que a doença causa. Essa dor nas articulações pode demorar de vários meses à 1 ano após cessar a febre.

Existe tratamento para a doença, Dotô?

            Até o momento não existe nenhuma vacina ou antiviral que trate a infecção pelo vírus, mas os individuos infectados devem ser tratados pela indicação de uma boa hidratação, além de analgésicos e antitérmicos, pois esses remédios aliviam os sintomas. No caso da persistência de dores na articulação, é necessário continuar a tomar anti-inflamatórios e até fazer fisioterapia.

            Além do tratamento, é importante falarmos da prevenção. No momento, o melhor método de prevenção da doença é igual ao do vírus Dengue: combater a proliferação dos mosquitos transmissores da doença evitando o acúmulo de lixo e objetos que possam acumular água parada, podendo servir de criadouro para as larvas do mosquito.

E será que vai aumentar o número de caos no Brasil?

            Esperamos que sim meu caro paciente, pois assim teremos mais trabalho e mais pacientes…Não, espera! Quero dizer que é muito provável que ocorra mais casos de pessoas apresentando infecção pelo Chikungunya no Brasil. Na verdade novos casos vêm sendo notificados o tempo todo. Logo após aparecerem os casos notificados no Oiapoque, 11 casos foram considerados suspeitos na mesma região e 10 no Macapá, além disso, 5 novos casos foram diagnosticados em Feira de Santana, na Bahia, no dia 19 de setembro de 2014. Por isso, acredita-se que o número de casos vai continuar aumentando. Principalmente, com a chegada da época das chuvas, de janeiro à maio, que também é o período de maior transmissão da dengue no Brasil, pois é o período em que aumenta o número de mosquitos transmissores dessas doenças.

            Mas, após os casos confirmados no Amapá, o Ministério da Saúde afirmou que prepara uma série de medidas de conscientização para evitar a disseminação da doença e adiantou a expansão do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), aumentando de 1,8 mil para 2 mil municípios. O que aumenta o mapeamento dos mosquitos e consequente rapidez na atuação em uma futura epidemia. Além disso, o Ministério da saúde promoverá reuniões de mobilização das secretarias estaduais e municipais de saúde para o combate ao vírus da Dengue e ao Chikungunya em novembro.

            Pois é, meu caro paciente, você que estava apenas preocupado com o Ebola, se esqueceu que nós temos outras doenças virais por aqui que podem te infectar à qualquer momento. Agora nós não temos apenas o vírus Dengue e Febre amarela para nos preocupar, temos um novo visitante, que parece que veio para ficar, o Chikungunya. Então cuidado com os mosquitos e não deixe agua parada por aí.

 

GLOSSÁRIO

Antiviral: Classe de medicamentos utilizados para tratar infecções virais. Lembre-se: apenas infecções virais. Os antivirais não tratam infecções bacterianas (o que trata infecções bacterianas são antibióticos) e nem infecções causadas por fungos (tratadas por antifúngicos ou antimicóticos)

Ciclo de transmissão: Período em que ao organismo infeccioso passa por mudanças de hospedeiro, do local ao qual ele infecta ou morfológico ao qual ele necessita para infectar determinado individuo, se reproduzir e amadurecer.

Exantema: Manchas ou pápulas (manchas com elevação da lesão) na pele transmitidas por vírus, bactérias, protozoários e parasitas helmínticos (normalmente chamado de vermes). A lesão pode ocorrer em apenas uma região do corpo (rash localizado) ou espalhar-se por todo o corpo (rash disseminado ou generalizado).

Manifestações clínicas: Sintomas e sinais de uma determinada doença (ou seja, de que você está doente).

Taxa de transmissão: Quantidade de transmissão em determinado momento. Se a taxa de transmissão diminui, menos individuos transmitiram a doença e menos individuos se infectaram.

Vetores: Todo ser vivo capaz de transmitir um agente infectante, de maneira ativa ou passiva.

BIBLIOGRAFIA

Na Web

http://www.ebc.com.br/noticias/saude/2014/07/febre-chikungunya-o-que-e

http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs327/en/

http://www.cdc.gov/chikungunya/

http://www.tribunadabahia.com.br/2014/09/19/5-casos-de-febre-chikungunya-sao-confirmados-em-feira-de-santana

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica-brasil-economia/33,65,33,12/2014/09/19/interna_brasil,447819/mais-de-20-pessoas-tem-suspeita-de-contagio-da-febre-chikungunya-no-amapa.shtml

http://www.brasil.gov.br/saude/2014/09/ministerio-da-saude-intensifica-medidas-de-controle-da-febre-chikungunya

Livros

Knipe DM, Howley PM, Griffin DE, Lamb RA, Martin MA, Roizman B, et al. Fields’ Virology: Lippincott Williams & Wilkins; 2007.

Santos NSO, Romanos MTVR, Wigg MD. Introdução a Virologia Humana. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2008.

Agora, com vocês os mosquitos causadores do Chikungunya e Dengue

Anúncios