Dotô, se eu vacinar meu filho ele fica autista?

Não, meu caro paciente. Seu filho não vai ficar autista.

measles traduzida

     Em 1998, o médico Andrew Wakefield publicou um artigo na revista Lancet que associava o uso da vacina tríplice (vacina contra o sarampo, caxumba e rubéola) ao desenvolvimento do autismo. Diversos estudos foram conduzidos desde então a fim de comprovar ou não essa relação, sendo que não houve evidências acerca dessa hipótese.  Recentemente, o Conselho Médico Geral Britânico suspendeu o registro médico de Andrew Wakefield, pois descobriu que os dados da pesquisa foram falsificados, porém o dano já estava feito.

     Na última década voltaram a surgir surtos de sarampo em crianças de países desenvolvidos, como os EUA e Reino Unido, que foram relacionados com a recusa de muitos pais em vacinar seus filhos, pelo receio de que pudessem desenvolver o autismo, de acordo com a falsa pesquisa realizada por Andrew Wakefield. Felizmente, este tipo de receio tem sido pouco frequente no nosso país, sendo possível evitar e erradicar uma doença com risco de múltiplas complicações como o sarampo, que pode levar ao desenvolvimento de sequelas neurológicas irreversíveis e a morte.

     Atualmente o Reino Unido vive um surto de sarampo com 693 casos confirmados. O governo está intensificando as campanhas de vacinação e 3,7 mil crianças já receberam a dose da vacina tríplice viral. Porém, estima-se que cerca de 13 mil crianças menores de 19 anos ainda podem se infectar pelo vírus. Só nos últimos cinco meses mais de 700 pessoas contraíram o vírus, que é altamente contagioso, pois é transmitido diretamente de pessoa a pessoa através das secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Os casos da doença se concentram na cidade de Swansea, no País de Gales, e são mais graves em crianças entre 10 e 18 anos.

     Este surto nos serve de exemplo e nos chama a atenção do quanto é importante manter as campanhas de vacinação do sarampo no Brasil por mais que a doença não seja mais tão evidente em nosso país. Com a globalização e o desenvolvimento tecnológico fica muito fácil se transportar para qualquer destino do mundo, assim, basta apenas que uma pessoa doente pise em nosso país para que a infecção se espalhe, caso a nossa população não esteja imunizada para tal doença. Por isso, o Dotô recomenda a vacinação do seu filho!

GLOSSÁRIO:

Sarampo: é uma doença viral causada por um paramixovírus do gênero Morbillivirus que afeta o sistema respiratório causando sintomas como febre alta,  coriza, vermelhidão ocular e aparecimento de pequenas manchas  brancas na parte interna da boca que gradualmente se espalham pelo corpo. É uma doença de transmissão respiratória que atinge principalmente crianças.

Vacina tríplice viral: é uma vacina  capaz de conferir imunidade a três infecções virais: sarampo, rubéola e caxumba. Sua aplicação é realizada em dose única, geralmente aos 12 meses de idade, além de um reforço dado entre quatro e seis anos.

Autismo: é uma disfunção global do desenvolvimento que afeta a capacidade de comunicação do indivíduo, de socialização (estabelecer relacionamentos) e de comportamento (responder apropriadamente ao ambiente – segundo as normas que regulam essas respostas). 

Imunizada (o): O termo imunizada(o) se refere a uma pessoa que se tornou imune ou resistente a uma determinada doença, devido a produção de anticorpos estimulada por meio da vacinação ou da infecção natural.