Dotô, qual a diferença entre o charme o funk? Não, quero dizer, qual a diferença entre a gripe H7N9 e a gripe H1N1?

charme e funk

Dotô, qual a diferença entre o charme o funk? Não, quero dizer, qual a diferença entre a gripe H7N9 e a gripe H1N1?

Na verdade, meu caro paciente, um anda bonito e o outro elegante.

Ah, calma aí, a diferença entre os vírus da gripe né? Existem várias diferenças, mas a nomenclatura é bastante importante.

Todas as gripes são causadas pelo mesmo vírus, o vírus Influenza. Existem dois fatores que diferenciam e nomeiam os diferentes subtipos do vírus Influenza:

1) O primeiro fator é a classificação pelo gênero do vírus. Todos os vírus são englobados dentro de um mesmo grupo chamado de família. Dentro de uma determinada família viral os vírus são classificados em grupos menores chamados de gêneros, de acordo com a sua semelhança. Para os vírus Influenza existem cinco gêneros chamados de Influenza A, Influenza B, Influenza C, Influenza Thogotto e Influenza Isa. Os dois últimos não infectam os humanos (além de ter um nome muito estranho), o Influenza C praticamente não causa sintomas e não causa epidemias em nenhum lugar, o Influenza B pode causar epidemias de tempos em tempos, mas normalmente causa uma doença branda com poucos sintomas, mas o Influenza A. Ah, o Influenza A! Esse sim é que causa as epidemias e pandemias de Influenza e está relacionado com os sintomas mais graves das infecções por esse vírus.

             Então, podemos dizer que a maioria das infecções pelo vírus Influenza ao redor do mundo e que causam epidemias ocorrem pelo vírus Influenza A (como o vírus H7N9, o vírus H1N1, dentre outros).

2) O segundo fator está relacionado a duas proteínas encontradas na superfície do vírus, que protegem sua informação genética e são essenciais ao vírus, a Hemaglutinina e a Neuraminidase. Essas duas proteínas são encontradas em diferentes versões, em diferentes subtipos de vírus e em diferentes animais infectados pelo vírus Influenza. Ao todo existem 16 tipos de Hemaglutininas (chamados de H1 à H16) e 9 tipos de Neuraminidase (chamados de N1 à N9). Então, nós podemos encontrar diferentes vírus, com diferentes combinações dos tipos de Hemaglutinina e Neuraminidase, o que dá um total de 144 combinações possíveis de subtipos de Influenza A.

            Sabendo disso, fica fácil entender as diferenças entre os nomes dos vírus. O vírus H7N9 é o vírus Influenza A formado pela Hemaglutinina 7 (H7) e Neuminidase 9 (N9). O que dá H7 + N9 = H7N9. E o vírus H1N1 é o vírus Influenza A formado pela Hemaglutinina 1 (H1) e Neuminidase 1 (N1). O que dá H1 + N1 = H1N1.

            Já sabemos que os diferentes vírus Influenza são vírus com proteínas Hemaglutinina e Neuraminidase diferentes. Mas, um fator importante é que, para cada infecção, causada por cada subtipo de vírus Influenza diferente, é necessária uma nova resposta da defesa do seu corpo, a resposta do sistema imune. Imagine que seu sistema imune seja formado por soldados especializados para determinado inimigo, e esses soldados só conseguem atacar mais eficientemente determinado inimigo ao qual ele é especializado. Mas tem um problema, essa especialização dos soldados do sistema imune só ocorre após entrar em contato com o inimigo (o vírus Influenza). Então, certo dia, os soldados estão dentro do seu corpo de plantão esperando a chegada de um inimigo, quando, de repente, um inimigo é avistado (digamos o vírus Influenza A H1N1). Os soldados então vão para a guerra e acabam com a infecção, se especializando no H1N1 (na verdade nas proteínas H1 e N1). Se houve outra infecção pelo vírus Influenza A, como esses soldados estão mais especializados, atacarão e destruirão mais facilmente esse vírus. Mas, se houver uma infecção pelo vírus Influenza A H7N9, outros soldados terão que especializar nesse vírus e atacar esse vírus, provocando uma resposta diferente do sistema imune, com soldados diferentes. Na próxima infecção pelo vírus Influenza A H7N9 a reação do sistema imune será mais rápida.

            Mas espere, não é só isso, como explicado anteriormente no texto “Dotô, eu tô gripado?”, existem mutações nos vírus Influenza que dificultam a atuação desses soldados, sendo necessária uma nova especialização do sistema imune para atacar os mesmos vírus que nos infectou antes, como a reinfecção pelo H1N1. Por isso, se você se infectar pelo mesmo vírus Influenza você pode voltar a ter os sintomas da infecção pelo vírus. A mutação que o vírus Influenza sofre é um dos grandes fatores das epidemias e pandemias que nós vemos mundialmente causadas pelo vírus.

            Pelo vírus Influenza ter uma capacidade tão grande de infecção é que o “Dotô é virose?” insiste na vacinação contra o vírus. Há uma campanha de vacinação ocorrendo neste momento e que vai até o dia 10 de maio. Não deixe para depois, corra para garantir a sua vacina, ainda dá tempo.

 

GLOSSÁRIO:

Epidemia: Alastramento de uma doença infecto contagiosa por um curto período de tempo em uma localidade.

Hemaglutinina: Proteína da superfície do vírus responsável pela ligação e penetração do vírus na célula hospedeira do trato respiratório. Existem cerca de 16 subtipos de hemaglutinina já descritos infectando os seres vivos.

Influenza A: Principal subtipo de vírus da gripe que infecta humanos, responsável por epidemias e pandemias.

Influenza B, C, Thogotto e Isa: Subtipos de vírus da gripe que causam infecções mais brandas ou infecções assintomáticas em relação ao vírus Influenza A. O vírus Influenza B está relacionado com pequenos surtos.

Neuraminidase: Proteína da superfície do vírus responsável pela disseminação do vírus no hospedeiro. Existem 9 subtipos de neuraminidade descritos infectando seres vivos.

Pandemia: Alastramento de uma doença infecciosa a nível global, atingindo grandes proporções e se espalhando pelos continentes, podendo se apresentar com um elevado risco de mortes.

Agora o grande hit e música tema do post:

Anúncios