Dotô, é verdade que a microcefalia é causada pela vacina de Rubéola?

grávida

Fonte: http://www.canalgravidez.com.br

                Não, é mentira. Uma mentira extremamente exagerada e sem nexo.  Quando a mulher engravida, algumas vacinas são necessárias como a vacina de tétano e difteria causadas por bactérias, bem como a vacina da gripe causada pelo vírus Influenza. Mas a vacina da Rubéola é contra-indicada na gravidez. Na verdade, a vacina da Rubéola em grávidas pode causar uma doença chamada “Sindrome da Rubéola Congênita”, que afeta principalmente os fetos quando a mãe é vacinada no primeiro trimestre de gravidez. Essa doença pode causar aborto e comprometer o desenvolvimento do feto, causando mal formações como deficiência auditiva, catarata, glaucoma e deficiência auditiva. Podendo ainda causar retardo do desenvolvimento e diabetes mellitus. A vacina é formada pelo vírus da Rubéola no estado atenuado (vacina atenuada), que não causa a doença em geral, mas em grávidas, pelo seu sistema imune estar fraco, o vírus pode reverter e causar a doença. Por esse motivo, ela não é indicado para grávidas.

                Por conta desta contraindicação para grávidas é que esse boato não tem cabimento. O boato surgiu na semana passada quando uma pessoa, que não parece conhecer direito a área de saúde, afirmou em um vídeo no youtube e em sua página no facebook de que a microcefalia causada pelo Zika, na verdade era causada por um lote de vacina de Rubéola vencido que estava sendo inoculado nas grávidas e, por isso, os bebês estavam tendo microcefalia. Se você, caro paciente, procurar um pouco na internet para se informar melhor verá que o que foi dito pelo individuo não faz o mínimo sentido, pois além de não ser indicada a vacinação para Rubéola em grávidas, ele faz várias afirmações que não coincidem com a realidade na virologia. Vocês podem até fazer uma brincadeira. Vejam o vídeo e tentem descobrir quantas vezes ele falou besteiras sobre a virologia. Chamem seus amigos. Vai ser super divertido. Aqui está o link para vocês brincarem: https://www.youtube.com/watch?v=Boy9_naXBEA

Além desse boato, outros boatos apareceram. Segue alguns dos que o Dotô soube:

1) O Zika não veio na Copa, foi produzido em laboratório.

2) O Zika só apareceu pois os mosquitos geneticamente modificados soltos pela Fundação Oswaldo Cruz para tentar diminuir a quantidade de mosquitos transmissores do mosquito da dengue, foram capazes de se infectar pelo Zika (então a culpa é da Fundação Oswaldo Cruz).

3) A epidemia de Zika é muito maior do que pensamos e o governo está escondendo tudo, a maior parte das crianças que nascerão em 2016 terão microcefalia (A verdade está lá fora…).

4) Alguns repelentes caseiros são mais fortes do que outros repelentes para “espantar” o Aedes aegypti.

4) O Zika só veio para o Brasil, pois ele gosta de futebol.

                Esses boatos atrapalham mais do que ajudam os Dotôres e o Ministério da Saúde. Simplesmente, pois ao acreditar nesses boatos as pessoas começam a deixar de se cuidar e, com isso, pode aumentar o número de mosquitos e aumentar o número de nascimentos de crianças com microcefalia. Afinal, para que se cuidar se a culpa não é do mosquito? Além disso, o alarde e preocupação das pessoas tem aumentado muito o uso de repelentes em crianças de todas idades, o que levou ao aumento de crianças com problemas ao usar os repelentes. Principalmente repelentes caseiros, não certificados. O filme Contágio mostra bem isso, quando um jornalista (interpretado pelo ator Jude Law), acredita que existe um remédio que pode tratar a infecção causada pelo vírus MEV-1 e alerta a população, dizendo que o governo está escondendo da população que esse remédio pode levar à cura da doença. Ao ver esse relato do jornalista, várias pessoas começam à procurar esse remédio e o utilizam acreditando que vão ser curados. O que não é bem a verdade. Assistam o filme, ele é bem interessante.

                Além dos boatos relacionados ao Zika, vários boatos relacionados à virologia vem sendo espalhado pela internet, facebook e o whatsapp todos os dias e muitas pessoas estão acreditando em boatos assim. É só pararmos para pensar se realmente faz sentido acreditar em um áudio que você recebeu pelo whatsapp de alguém que você não conhece ou de um vídeo de uma pessoa qualquer dizendo que vai acontecer isso ou aquilo, ou de que a causa de determinada doença não é exatamente a que a ciência diz. Você tem que avaliar o seguinte: Eu devo acreditar em uma pessoa sem credenciais cientificas, que não estudou, que não é um especialista na área ou acreditar em profissionais altamente gabaritados que passam a vida discutindo, estudando, testando e aplicando o seu conhecimento para melhorar a saúde da população? Uma imagem postada no facebook está mais correta do que páginas oficiais como as páginas da Fiocruz, Ministério da Saúde ou Organização Mundial da Saúde? Antes de pensar em uma teoria da conspiração pense em como as coisas podem dar errado se você não acreditar no trabalho dos dotôres e da ciência. Pergunte, se informe e sempre questione, pois acreditar em qualquer um pode ser a diferença entre você ficar doente, seus filhos ficarem doentes ou seus vizinhos ficarem doentes, e ajudar na diminuição de doenças como Zika e a microcefalia. O Dotô, por exemplo, estará sempre aqui para tirar suas dúvidas e discutir melhor sobre a virologia.

Abraços e até a próxima.

 

 

GLOSSÁRIO:

Vacina atenuada: Vacina formada por vírus ou bactérias vivas, mas que foram cultivados em condições que levam à perda da capacidade de provocar doença. Mesmo não provocando a doença, o vírus é reconhecido pelo sistema imune que leva à resposta imune contra novas infecções pelo vírus. Em virologia, temos como exemplo vacinas atenuadas contra sarampo, varicela, febre amarela, rubéola, rotavírus e poliomielite.

REFERÊNCIAS:

Canal gravidez. A mulher pode tomar vacinas durante a gravidez?. Disponível em: http://www.canalgravidez.com.br/a-mulher-pode-tomar-vacinas-durante-a-gravidez/. Acessado em 19/12/2015.

Hayes EB. Zika Virus Outside Africa. Emerging Infectious Diseases. 2009;15(9):1347-1350. doi:10.3201/eid1509.090442.

Portal Saúde. Perguntas e respostas – Zika vírus. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2015/maio/14/PERGUNTAS-E-RESPOSTAS-Zika.pdf. Acessado em: 19/12/2015.

É permitida a reprodução total ou parcial desta publicação, desde que citada a fonte (Dotô, é virose?)

Anúncios

Em tempos de Zika, porque ainda temos medo do Ebola?

Ebola

Em meio à tantas notícias preocupantes sobre o vírus Zika e possíveis impactos da sua infecção durante a gestação, como discutimos em nosso último post, nos surpreendemos no mês de novembro com o anuncio de mais um caso suspeito de Ebola no Brasil. Após meses de silêncio e de uma falsa sensação de que o vírus Ebola não era mais um problema mundial, eis que surge a dúvida: “é ebola ou não é?!”

Uffa, não foi! O caso suspeito se tratava de um paciente brasileiro que viajou para Guiné, país que ainda sofre com a epidemia causada pelo vírus Ebola. O paciente foi atendido no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz) e, através de testes realizados pela própria fundação, a suspeita foi descartada. O paciente foi diagnosticado com malária e recebeu alta na manhã do dia 14/11.

Quer saber mais detalhes sobre o caso? Segue o link: http://www.fiocruz.br/ioc/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=2449&sid=32

Mas Dotô, a epidemia de Ebola não acabou?

Não, meu caro paciente, a epidemia, que começou em março de 2014, já contabiliza cerca de 29 mil casos e mais de 11 mil mortes, seis países africanos e mais quatro países dos continentes Europeu e Americano. Apesar de um aparente controle, ainda existem alguns focos ativos da doença na África, como Guiné e Libéria.

Vamos focar na Libéria: A OMS havia anunciado no dia 03/09 o fim da transmissão do vírus Ebola na Libéria, onde a epidemia já deixou cerca de 4.000 mortos, com um total de 10.600 casos. A declaração foi feita após 42 dias sem casos no país. Porém, na última semana, três novos casos de ebola foram confirmados no país, depois de dois meses da Libéria ter sido declarada livre do vírus. O anúncio foi feito pela Organização Mundial de Saúde (OMS), na última sexta-feira (20/11). Um dos casos confirmados foi de um garoto de 15 anos de idade, admitido em uma unidade de saúde na Libéria, no dia 19/11. Depois de diagnosticado, o rapaz foi transferido para um centro de tratamento de Ebola, juntamente com outros cinco membros da sua família. Os outros dois casos confirmados com ebola eram da família do rapaz: um menino de 8 anos e seu pai, que já estão em isolamento. Além da família, 149 contatos foram identificados até agora, incluindo 10 profissionais de saúde que tiveram contato próximo com o jovem de 15 anos antes do isolamento. As investigações para descobrir a origem da infecção estão em um estágio inicial.

Dotô essa epidemia vai ter fim? O Ebola pode ser erradicado?

Bem, é difícil prever um fim para essa epidemia, porque pequenos focos continuam aparecendo, além de casos esporádicos. O ressurgimento da doença já era esperado, provavelmente por um vírus persistente em um indivíduo convalescente, ou através da infecção a partir de animais silvestres. Lembrando que, apesar do Ebola ser transmitido de uma pessoa para outra, estamos falando de uma zoonose. Além disso, a fonte das infecções iniciais desse surto está associada a transmissão a partir de animais silvestres.

Por esse motivo, o Ebola não pode ser erradicado, pois não possuímos uma vacina eficaz para interromper a transmissão pessoa a pessoa, e o mais importante: por poder infectar outros animais além do homem, o vírus Ebola vai continuar na natureza. Não podemos falar de erradicação, mas sim de controle, e este controle deve ser focado na vigilância de casos suspeitos, não só nos países africanos, mas no mundo inteiro.

Sim, o vírus Zika é um problema grave de saúde pública, mas lembrem-se que o Zika foi introduzido na Copa de 2014 e as Olimpíadas vêm aí! Precisamos ficar de olho … o Dotô com certeza está antenado!

GLOSSÁRIO:

Zoonose: são doenças que podem ser transmitidas do animal para o homem e vice-versa, tanto através do contato direto com secreções ou excreções, quanto através da ingestão de alimentos contaminados de origem animal.

 

REFERENCIAS:

Organização Mundial de Saúde. Ebola report. http://apps.who.int/ebola/current-situation/ebola-situation-report-25-november-2015

Organização Mundial de Saúde. Update Libéria. http://www.who.int/csr/disease/ebola/flare-up-liberia/en/

Organização Médicos Sem Fronteiras. Informações sobre o ebola. http://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/ebola

 

É permitida a reprodução total ou parcial desta publicação, desde que citada a fonte (Dotô, é virose?)