Dotô, as arboviroses vão conquistar o Brasil?

Em primeiro lugar, preciso explicar para você, meu paciente, o que são arboviroses. As arboviroses são infecções virais transmitidas por artrópodes. E o que são artrópodes? Artrópodes são insetos. Então, meu paciente, as arboviroses mais importantes são transmitidas por quem? Por mosquitos, principalmente a dengue, que é transmitida através da picada de fêmeas do mosquito Aedes aegypti e Aedes albopictus. Mas parece que o reinado do vírus Dengue como o principal arbovírus do Brasil está em risco. Semana passada, o Ministério da Saúde confirmou os dois primeiros casos de infecção pelo vírus Chikungunya no município do Oiapoque, no estado do Amapá. Um pai e uma filha se infectaram pelo vírus. A notícia, apesar de esperada, traz grandes preocupações para as autoridades de saúde brasileiras. A preocupação vem do fato que o Brasil apresenta um ambiente favorável para adaptação e dispersão do vírus em nosso território, uma vez que os mosquitos são os mesmos da dengue e febre amarela, fêmeas de Aedes albopictus e Aedes aegypti. Estes vetores estão presentes no Brasil em altas densidades e, apesar das grandes epidemias de dengue, nós brasileiros estamos susceptíveis a infecção pelo vírus Chikungunya.

aedes

Figura: Como diferenciar o Aedes aegypti e Aedes albopictus (fonte: http://www.cdc.gov/chikungunya/)

Mas Dotô, a febre provocada pelo vírus Chikungunya é parecida com a provocada pelo vírus Dengue?

            A febre Chikungunya é uma doença descrita inicialmente na Tanzania em 1952 e desde então, surtos tem sido descritos no continente Africano, na Ásia e Europa. Em dezembro de 2013 os primeiros casos foram identificados no continente Americano em ilhas do Caribe, em pouco tempo o vírus já foi identificado em mais de 32 países do continente Americano, com mais de 15 mil casos suspeitos. Com esse número aumentando à cada dia, principalmente em locais com climas tropicais, climas importantes para a proliferação de Aedes albopictus e Aedes aegypt.

            Em pouco tempo, as infecções causadas pelo vírus alastrando-se alastraram até chegar à América do Sul, mas com a presença de infecções causadas pelo vírus da febre amarela e da dengue, demorou um tempo até chegar ao Brasil. O que mudou na semana passada, quando o vírus finalmente chegou aqui.

            Existe uma preocupação com a chegada desse vírus ao Brasil, pois seu ciclo de transmissão é mais rápido que o da dengue, durando no máximo sete dias, porém a infecção por Chikungunya mata com menos frequência. Além disso, como é um vírus novo, infectando uma população que não tinha entrado em contato com ele (população Brasileira), ocorre uma ineficiência dessa população ao se defender contra esse vírus, o que aumenta o aparecimento de manifestações clínicas da doença e da morte dos individuos infectados. A infecção pelo Chikungunya afeta individuos de todas as idades e ambos os sexos, mas suas manifestações clínicas podem variar de acordo com a idade, sendo os mais jovens e mais idosos os mais afetados pela doença. Para aumentar ainda mais a preocupação, os vírus da febre chikungunya e da dengue tem sintomas bastante semelhantes, o que torna difícil a sua diferenciação em uma avaliação médica. Então o médico pode acreditar que o caso é de dengue quando, na verdade, trata-se de um caso de infecção pelo vírus Chikungunya. Esse diagnóstico clínico errôneo leva ao aumento da taxa de transmissão do vírus.

            Como no vírus da dengue, a febre causada pelo chikungunya se caracteriza como febre alta de inicio abrupto, acompanhada por dor de cabeça, conjuntivite, dor nas articulações e nos músculos, além de erupções na pele (exantema). O sintoma mais importante da doença é a dor nas articulações, que é extremamente forte no individuo infectado. Em casos graves essa dor forte pode impedir os movimentos do individuo infectado, levando até à incapacidade do individuo de andar e até de escrever. Na verdade, o nome chikungunya significa “aqueles que se dobram”, em referência à postura que os pacientes adotam diante das dores articulares que a doença causa. Essa dor nas articulações pode demorar de vários meses à 1 ano após cessar a febre.

Existe tratamento para a doença, Dotô?

            Até o momento não existe nenhuma vacina ou antiviral que trate a infecção pelo vírus, mas os individuos infectados devem ser tratados pela indicação de uma boa hidratação, além de analgésicos e antitérmicos, pois esses remédios aliviam os sintomas. No caso da persistência de dores na articulação, é necessário continuar a tomar anti-inflamatórios e até fazer fisioterapia.

            Além do tratamento, é importante falarmos da prevenção. No momento, o melhor método de prevenção da doença é igual ao do vírus Dengue: combater a proliferação dos mosquitos transmissores da doença evitando o acúmulo de lixo e objetos que possam acumular água parada, podendo servir de criadouro para as larvas do mosquito.

E será que vai aumentar o número de caos no Brasil?

            Esperamos que sim meu caro paciente, pois assim teremos mais trabalho e mais pacientes…Não, espera! Quero dizer que é muito provável que ocorra mais casos de pessoas apresentando infecção pelo Chikungunya no Brasil. Na verdade novos casos vêm sendo notificados o tempo todo. Logo após aparecerem os casos notificados no Oiapoque, 11 casos foram considerados suspeitos na mesma região e 10 no Macapá, além disso, 5 novos casos foram diagnosticados em Feira de Santana, na Bahia, no dia 19 de setembro de 2014. Por isso, acredita-se que o número de casos vai continuar aumentando. Principalmente, com a chegada da época das chuvas, de janeiro à maio, que também é o período de maior transmissão da dengue no Brasil, pois é o período em que aumenta o número de mosquitos transmissores dessas doenças.

            Mas, após os casos confirmados no Amapá, o Ministério da Saúde afirmou que prepara uma série de medidas de conscientização para evitar a disseminação da doença e adiantou a expansão do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), aumentando de 1,8 mil para 2 mil municípios. O que aumenta o mapeamento dos mosquitos e consequente rapidez na atuação em uma futura epidemia. Além disso, o Ministério da saúde promoverá reuniões de mobilização das secretarias estaduais e municipais de saúde para o combate ao vírus da Dengue e ao Chikungunya em novembro.

            Pois é, meu caro paciente, você que estava apenas preocupado com o Ebola, se esqueceu que nós temos outras doenças virais por aqui que podem te infectar à qualquer momento. Agora nós não temos apenas o vírus Dengue e Febre amarela para nos preocupar, temos um novo visitante, que parece que veio para ficar, o Chikungunya. Então cuidado com os mosquitos e não deixe agua parada por aí.

 

GLOSSÁRIO

Antiviral: Classe de medicamentos utilizados para tratar infecções virais. Lembre-se: apenas infecções virais. Os antivirais não tratam infecções bacterianas (o que trata infecções bacterianas são antibióticos) e nem infecções causadas por fungos (tratadas por antifúngicos ou antimicóticos)

Ciclo de transmissão: Período em que ao organismo infeccioso passa por mudanças de hospedeiro, do local ao qual ele infecta ou morfológico ao qual ele necessita para infectar determinado individuo, se reproduzir e amadurecer.

Exantema: Manchas ou pápulas (manchas com elevação da lesão) na pele transmitidas por vírus, bactérias, protozoários e parasitas helmínticos (normalmente chamado de vermes). A lesão pode ocorrer em apenas uma região do corpo (rash localizado) ou espalhar-se por todo o corpo (rash disseminado ou generalizado).

Manifestações clínicas: Sintomas e sinais de uma determinada doença (ou seja, de que você está doente).

Taxa de transmissão: Quantidade de transmissão em determinado momento. Se a taxa de transmissão diminui, menos individuos transmitiram a doença e menos individuos se infectaram.

Vetores: Todo ser vivo capaz de transmitir um agente infectante, de maneira ativa ou passiva.

BIBLIOGRAFIA

Na Web

http://www.ebc.com.br/noticias/saude/2014/07/febre-chikungunya-o-que-e

http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs327/en/

http://www.cdc.gov/chikungunya/

http://www.tribunadabahia.com.br/2014/09/19/5-casos-de-febre-chikungunya-sao-confirmados-em-feira-de-santana

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica-brasil-economia/33,65,33,12/2014/09/19/interna_brasil,447819/mais-de-20-pessoas-tem-suspeita-de-contagio-da-febre-chikungunya-no-amapa.shtml

http://www.brasil.gov.br/saude/2014/09/ministerio-da-saude-intensifica-medidas-de-controle-da-febre-chikungunya

Livros

Knipe DM, Howley PM, Griffin DE, Lamb RA, Martin MA, Roizman B, et al. Fields’ Virology: Lippincott Williams & Wilkins; 2007.

Santos NSO, Romanos MTVR, Wigg MD. Introdução a Virologia Humana. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2008.

Agora, com vocês os mosquitos causadores do Chikungunya e Dengue

Anúncios

Dotô, já teve casos da epidemia atual de Ebola no Brasil?

ebolaFonte: http://rt.com/news/ebola-virus-guinea-border-177/

 

            Meu caro paciente, não entre em pânico, ATÉ O MOMENTO NÃO HOUVE CASO COMPROVADO DE INFECÇÃO PELO VÍRUS EBOLA DENTRO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO.           

            Mas Dotô, eu li na internet sobre dois casos comprovados no Brasil. O primeiro caso diz que um nigeriano teria sido internado no Hospital Universitário Huufma no Maranhão e teria sido diagnosticado com Ebola no começo de agosto de 2014. Este Nigeriano teria morrido e foi ordenado que o caso fosse mantido em sigilo. O outro caso que eu li na internet dizia que dois Africanos foram diagnosticados com Ebola nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Botafogo e de Marechal Hermes no Rio de Janeiro e que, também, a Secretaria de Saúde se recusou a divulgar. Isso é verdade? Será que o governo quer esconder os casos da gente?

            E você acredita em tudo que lê na internet, meu estimado paciente? Não acredite em tudo o que você lê, busque sempre informações de fontes oficiais do governo. Essas mensagens não são verdadeiras, elas apenas ajudam a causar pânico e medo entre a população. Se você estiver em dúvida, você sempre pode perguntar que o Dotô vai te responder ou então acessar o site oficial do ministério da saúde.

            Não foi apenas no Brasil que não foram encontrados casos de Ebola. Até o momento nenhum caso de Ebola foi visto tendo transmissão ocorrendo fora da África. Os únicos casos de indivíduos de fora da África que foram diagnosticados com Ebola foram aqueles em que os indivíduos de alguma forma entraram em contato com pessoas infectadas pelo vírus, seja profissionais de saúde (como enfermeiras ou médicos) ou pesquisadores enquanto estavam na África.

            Mas será que essa epidemia pode chegar aqui no Brasil, Dotô?

Olha, eu tenho duas notícias para você, uma notícia boa e outra notícia ruim.  A notícia ruim é que a transmissão da doença pode chegar até o Brasil. Essa possibilidade de uma epidemia do vírus Ebola no Brasil (e em outros países fora da África) ocorre pois sua transmissão acontece de 2-21 dias após o indivíduo entrar em contato com o vírus (a transmissão começa a ocorrer no mesmo momento em que aparecem os primeiros sintomas). A notícia boa é que é extremamente improvável que ocorra uma epidemia de Ebola aqui no Brasil. Como a transmissão do Ebola ocorre apenas pelo contato direto ou contato com os fluidos corporais de pessoas infectadas (como sangue, urina, fezes ou suor) os pacientes que apresentam os sintomas podem ser isolados e seus contactantes facilmente rastreados e também isolados. Esses pacientes suspeitos, após serem isolados, serão confirmados ou não de estarem infectados pelo vírus e seriam tratados, dificultando assim uma provável epidemia. Diferente do vírus Influenza que se propaga pelo ar através de tosse ou espirros podendo ser facilmente transmitido e aumentando o risco de epidemias, o vírus Ebola, como dito antes, só é transmitido através do contato direto ou contato com fluidos corporais, dificultando a ocorrência de uma epidemia em locais com uma estrutura mínima de saúde.

            Ah Dotô, nessa eu não caio. Se você está falando que é difícil ocorrer uma epidemia do vírus Ebola, porque sempre falam de varias epidemias causadas por ele?

              Por vários motivos. O primeiro deles tem relação ao local onde, geralmente, ocorrem os primeiros casos da epidemia. Geralmente, o vírus Ebola começa a ser transmitido em vilarejos extremamente pobres, desprovidos de assistência básica em saúde. No caso do Ebola, os casos só são diagnosticados após o inicio dos sintomas e consequente começo da transmissão. Então, quando as autoridades começam a observar o aparecimento de indivíduos infectados pelo vírus, o número de casos suspeitos já é relativamente grande e a cadeia de transmissão pessoa-pessoa já se estabeleceu. O segundo problema é a cultura local. Alguns povos africanos tem como tradição velar seu ente querido após a sua morte, tendo como costume, inclusive, a lavagem do corpo dos mortos, o que aumenta o contato direto com o individuo infectado, aumentando o número de pessoas infectadas. Agora imaginem o que eles acham de não poder seguir essa tradição? Sim, pois logo que chegam os médicos e pesquisadores o seu ente querido é isolado do resto da população e nunca mais é visto (pois morreu infectado pela doença). Simplesmente, uma parte das pessoas dessas regiões infectadas acreditam que a doença não existe e que os órgãos de saúde não estão lá para ajuda-los e sim para extermina-los. Alguns profissionais são recebidos com pedradas pelos moradores dessas regiões. Esse fato dificulta a cooperação desses individuos com os profissionais de saúde. Chegando a ocorrer casos em que um possível caso de Ebola não é relatado aos profissionais de saúde, pois o individuo doente tem medo de ser morto pelos agentes de saúde.

            Por esses motivos, é difícil que ocorra uma epidemia de Ebola no Brasil e em outros países fora da África. Mas é sempre bom ficar de olho. O Dotô está observando atentamente a evolução da epidemia de Ebola e irá atualiza-los aos poucos. Teremos novos posts logo, logo. Podem contar.

            Ahhhh….não deixem de ler nosso primeiro post sobre a epidemia do Ebola e a crítica do filme Epidemia que se baseou na infecção pelo vírus Ebola.

Agora um vídeo divertido sobre o Ebola.

Observação do Dotô: O vídeo contém algumas explicações sobre o Ebola erradas. Você consegue descobrir quais? Se conseguir, deixe um recado para o Dotô.

GLOSSÁRIO:

Contactantes: indivíduos que tiveram contato com um indivíduo doente.