Corram para as colinas, o vírus Ebola está de volta!

 

O Dotô vai explicar o que esta acontecendo na Guiné e o porquê do pânico relacionado a esse vírus.

foto

Surto na Guiné

     Desde o final do mês de março casos de infecções causadas pelo vírus Ebola vem sendo registrados na África, a maioria ocorrendo na Guiné. Em aproximadamente 15 dias, 208 casos clinicamente compatíveis foram reportados às autoridades de saúde locais, onde cerca de 60% dos pacientes vieram à óbito. O surto se iniciou na região sudeste do país, mas logo se expandiu para a capital. Os casos têm ocorrido em todas as faixas etárias e em ambos os sexos. Mais de 623 contactantes foram rastreados e estão sob acompanhamento médico e 23 indivíduos encontram-se em isolamento.

     O Ministério da Saúde do país junto com a Organização Mundial de Saúde (OMS) instituíram campanhas em massa veiculadas através da mídia local (rádio e TV), redes sociais e até mensagens de texto. As amostras de casos suspeitos estão sendo enviadas para laboratórios especializados que compõe a rede de patógenos emergentes e perigosos situados na África e na Europa.

      Alertas têm sido gerados principalmente aos viajantes daquela região. A preocupação é de que o surto se dissemine para outros países. Casos importados foram identificados na Libéria (30 casos suspeitos), Mali (quatro casos suspeitos) e Serra Leoa com 19 casos suspeitos. Um caso suspeito no Canadá e outro em Gana foram logo descartados, assim que os testes laboratoriais mais específicos foram realizados.

 Boletins diários contendo as informações sobre o surto na Guiné são emitidos no site da OMS: http://www.who.int/csr/don/archive/year/2014/en/

O porquê de tanto pânico Dotô?

      Meu caro paciente, o vírus Ebola é constantemente associado com medo e pânico, devido à sua alta taxa de letalidade, cerca de 90%, ou seja, aproximadamente 90% dos indivíduos infectados vão a óbito. O vírus pode ser transmitido de uma pessoa para outra através do contato com sangue e secreções (saliva, urina, fezes e sêmen) provenientes de indivíduos infectados. Uma das características marcantes da doença causada por esse vírus é o sangramento interno e externo que ocorre em alguns casos. Não existe um tratamento específico ou uma vacina.

      Apesar da febre hemorrágica causada pelo vírus Ebola ser considerada uma zoonose, o animal responsável pela transmissão e disseminação desse agente ainda não foi reconhecido. Acredita-se que morcegos frutívoros sejam os prováveis reservatórios naturais deste vírus, mas primatas não humanos, antílopes e suínos já foram encontrados infectados. Sendo assim, não se sabe ao certo como o homem adquire a infecção.

     Este vírus possui um histórico um tanto quanto sinistro, onde aldeias inteiras foram dizimadas durante surtos ocorridos nas primeiras décadas após sua identificação. Um total de 2.387 casos de febre hemorrágica por Ebola, com 1.590 mortes foram registradas de 1976 a 2012 na África Central. Somado a esses fatores, estão a dificuldade de contenção desde vírus, assim como o grande numero de profissionais de saúde que se infectam a partir do contato com os doentes e suas secreções.

      Um exemplo desse pânico pode ser visto em países vizinhos à Guiné, como o Senegal, onde a população já evita contato próximo como o apertar de mãos. Comerciantes de produtos oriundos da Guiné encontram dificuldades em vender seus produtos e os hospitais já se encontram em alerta para isolar qualquer paciente que apresente sinais e sintomas compatíveis com a doença.

        Bem meus caros pacientes, deixo prescrito para vocês apenas uma boa dose de reflexão sobre a fragilidade das unidades de saúde e da população em geral frente às doenças virais de alta letalidade como o vírus Ebola. Adicione a isso a proximidade da copa do mundo e a diversidade de microrganismos que podem ser trazidos pelos jogadores e, principalmente, torcedores de diversas nacionalidades e a facilidade de se deslocar de um país a outro em questão de horas. Pensem no numero de agentes virais que podem chegar ao Brasil?!

Será que estamos preparados? Fica a reflexão!

GLOSSÁRIO:

Contactantes: indivíduos que tiveram contato com um indivíduo doente.

Zoonose: doenças que são transmitidas dos animais para o homem.

Frutívoros: se alimentam de frutas.